Menu

Biomagnetismo: Mal de Parkinson pode ter ligação com bactérias no intestino

BIOMAGNETISMO, A MEDICINA DO FUTURO!!!

Palavras do Dr. Isaac Goiz Durán (descobridor do Par Biomagnético):
O TEMPO NOS DARÁ A RAZÃO!



Desde 1989, o Dr. Goiz vem informando a comunidade científica, que a causa de nossas enfermidades, são os microrganismos.

Aos poucos a verdade vem à tona...

Mal de Parkinson pode ter ligação com bactérias no intestino.
Conexão levaria ao desenvolvimento de novas terapias.


Dano progressivo no cérebro dos pacientes provoca tremores - Free Images


RIO - Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) descobriu, com base em experimentos realizados em ratos, que o mal de Parkinson pode estar relacionado a bactérias localizados no intestino. O experimento foi detalhado na edição desta semana da revista “Cell”.

Espera-se que o resultado do levantamento, se confirmado em humanos, leve ao desenvolve de novas drogas, que matariam micro-organismos no intestino. O estudo, segundo os especialistas, abriria uma “emocionante nova avenida de estudos”.

O mal de Parkinson leva a um dano progressivo do cérebro, provocando tremor e dificuldade para movimento.

Os pesquisadores usaram ratos geneticamente programados para desenvolver Parkinson — os roedores produziam altgos níveis da proteína alfa-sinucleína, que é relacionada aos danos causados no cérebro pela doença.

No entanto, apenas os animais com bactérias no estômago desenvolveram sintomas. Os ratos estéreis permaneceram saudáveis.

Outros experimentos mostraram que o transplante da bactérias ligadas a pacientes com Parkinson para os ratos provocou mais sintomas do que o de bactérias extraídas de pessoas saudáveis.

- Este foi momento “eureca”, descreve Timothy Samson, pesquisador da Caltech. — Os ratos eram geneticamente idênticos, a única diferença era a presença ou ausência da microbiota intestinal. Agora estamos confiantes de que estas bactérias regulam, e podem até ser necessárias, para os sintomas de Parkinson.

De acordo com os cientistas, a bactéria libera substâncias químicas que ativam partes do cérebro, levando aos seus danos. A bactéria pode quebrar a fibra em ácidos graxos de cadeia curta. Estima-se que um desequilíbrio nestas substâncias aciona as células imunes do cérebro a causar danos.

Também envolvido na pesquisa, o professor Sarkis Mazmanian ressalta que seu grupo “descobriu pela primeira vez uma ligação biológica entre a microbiota do intestino e o mal de Parkinson”.

- A pesquisa revela que a doença neurodegenerativa pode ter sua origem no intestino, e não somente no cérebro, como se pensava — ressalta. — Esta é uma mudança de paradigma e abre a porta para novas possibilidades de tratamentos.

As trilhões de bactérias que vivem no intestino são fundamentais para a saúde humana, então retirá-las completamente não é uma opção.

Arthur Roach, da organização Parkinson's UK, ressalta que ainda é preciso comprovar o estudo em humanos.

- Este trabalho abre uma emocionante nova avenida de estudos. Ainda há muitas questões a serem respondidas, mas esperamos que esse trabalho leve ao desencadeamento de novas pesquisas, que revolucionarão os tratamentos para a doença.

Fonte: www.oglobo.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário