Menu

A Cura Quântica



A cura espiritual vem sendo estudada sob um prisma científico, à luz dos conhecimentos atuais, que identificam um ponto de encontro entre a ciência e a realidade da alma, através do pensamento.

Os conhecimentos revelados pela Física evidenciam que o átomo constitui uma minúscula partícula de matéria, tendo, no seu interior, um núcleo formado de prótons e nêutrons.

Os prótons são dotados de carga elétrica positiva e se apresentam em número variável, de acordo com os diferentes elementos químicos que os constituem. Os neutrons são em número igual aos dos prótons e de massa praticamente igual à dos mesmos. Ao redor do núcleo existem partículas menores, os elétrons, em número igual ao de prótons e que se movimentam em órbitas elípticas concêntricas, com carga elétrica negativa.

Segundo o modelo de Ernest Rutberford, adotado também por Niels Bohr, os elétrons se deslocam em torno do núcleo que estabelece o equilíbrio em relação à força centrífuga dos elétrons, sendo que, para melhor entendermos o sistema eletro-magnético atômico, basta compará-lo com uma miniatura infinitamente reduzida do nosso sistema planetário.

O conhecimento da estrutura do átomo abre, para o observador, um campo multiforme de observações mas, em síntese, reportando a estrutura do átomo para o sistema planetário, verifica-se sem sombra de dúvida, que o átomo sintetiza a unidade da Criação.

Existem razões para se admitir que no campo da atomologia deve centrar-se a causa e a cura das doenças, e que o pensamento tem o duplo poder de deslocar ou de reajustar os elétrons em suas órbitas.

O pensamento, sendo uma forma de energia emitida pela alma, quando impregnado de emoções negativas como as do medo, do ódio, da inveja, da maldade, do ciúme, pode causar o deslocamento dos elétrons de suas órbitas atômicas, causando o sofrimento, as doenças, o fracasso.

Já o pensamento impregnado de emoções positivas, sob a motivação da vontade e da determinação, através do querer, da prece e da fé, centrado na ação curativa a realizar-se no processo mórbido, produz o reajustamento dos elétrons no alinhamento de maior potencial de suas órbitas atômicas, promovendo a saúde, o bem-estar, o sucesso, a cura quântica ou cura espiritual.

Em outras palavras, podemos dizer que: pensamentos negativos descompensam energeticamente os átomos, promovendo o deslocamento dos elétrons de suas órbitas atômicas, desencadeando a desarmonia energética na estrutura das células e conseqüente ejeção dos elétrons das órbitas dos átomos que as constituem.

Pensamentos positivos harmonizam a estrutura dinâmica dos átomos, com a recondução dos elétrons às suas respectivas órbitas, produzindo a harmonização do sistema energético das células e a conseqüente recondução do seu estado normal.
A energia causadora de ambos os processos é a mesma. O que diferencia o pensamento negativo do positivo é a informação associada ao mesmo.

Há 150 anos, quando a ciência ainda não havia formulado as bases da Teoria Quântica, Allan Kardec escreveu no livro "A Gênese"(páginas 294-5,ítem 31), que "O espírito é o agente propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância do seu envoltório fluídico. A cura se opera mediante a substituição de uma molécula mal sã por uma molécula sã.

Como as moléculas são formadas de átomos, verifica-se que Allan Kardec estava certo ao lançar as bases científicas da cura espiritual centrada na molécula, e pode ser considerado o precursor dos conceitos modernos da Medicina Quântica, segundo a qual todo processo patológico tem, na sua origem, um desequilíbrio bioenergético que ocorre no interior das moléculas que constituem a célula.

Em decorrência do conceito da cura quântica, pode-se deduzir que o magnetismo, humano ou espiritual, é responsável por diferentes modalidades de cura, compreendendo-se, igualmente, que o poder de curar é variável de pessoa para pessoa e é decorrente do fluído magnético emanado pelo pensamento, sob a ação da vontade.

As ações iniciais que podem ocorrer antes mesmo do aparecimento das primeiras manifestações de doença, realizam-se nas células, por alterações energéticas causadas por pensamentos negativos e que alcançam os átomos, levando, como já vimos, ao deslocamento de elétrons de suas órbitas.

Sendo o pensamento um atributo da alma, compreende-se o seu valor na vida humana, e que a alma não é apenas um mero componente na constituição do organismo, mas uma fonte inesgotável de energia atuante na vida de cada um, desde o momento de sua formação embrionária, atuando como agente modelador dos órgãos e tecidos, e durante toda a vida da pessoa, como responsável pela saúde e bem-estar do organismo.

As curas espirituais, consideradas como milagres, podem ser concebidas à luz da Ciência Quântica, que são realizadas pela força do pensamento, que é um atributo da alma.

Dessa maneira já não existem razões para que Ciência e Religião se mantenham separadas. Para tanto, vale a pena lembrar as palavras de Thomas Edison, cientista que nos revelou a luz descobrindo a lâmpada incandescente: "Fé sem ciência é fanatismo; ciência sem fé pode ser loucura."

Os princípios da Física Quântica levam-nos a um conceito absolutamente novo, a um  Paradigma Multidimensional  sem limites, onde não há barreiras nem certezas, num  infinito Oceano  Cósmico, que é um Multidimensional campo de potencialidades.

Nesse vastíssimo campo ou oceano energético, tudo se relaciona com tudo, campo esse, do qual nós também fazemos parte.

Na verdade, nós somos apenas uma partícula desse imenso Oceano, partícula essa que se traduz  num composto quântico, porque a nossa matéria orgânica é constituída por  matéria energética: quantas,  átomos e moléculas, que são a base de toda a estrutura física do nosso Ser.


SEREMOS APENAS MATÉRIA? 

Aliás, se observarmos num microscópio eletrônico alguma parte do nosso corpo, concluiremos que até mesmo as partes mais sólidas são compostas de diminutas partículas com determinada carga elétrica gravitando em torno de outras com carga elétrica diferente, a exemplo do que observamos no resto do universo.

De acordo com a física quântica, o macrocosmo e o microcosmo refletem-se holograficamente um no outro, ou seja, a exemplo das galáxias e das moléculas, também nós somos energia. A energia manifesta-se de distintas formas, animal, vegetal, mineral, ou outra, não deixando nenhuma delas de ser apenas uma expressão da energia original, cósmica e universal.

Assim, uma vez que a energia está em permanente movimento, em perpétua criação, o oceano cósmico de energia, que o universo constitui, age em vagas de possibilidades energéticas, que se expandem em variados níveis energéticos, abarcando várias realidades, de entre as quais, a física e a causal.

Seguindo esta perspectiva, cada um de nós, seres humanos, a exemplo do resto do universo, é igualmente uma manifestação energética, que utiliza a energia universal, movendo-a ininterruptamente, com os nossos pensamentos, sentimentos e ações, que são vagas de possibilidades energéticas, que se expandem em variados níveis energéticos, abarcando várias realidades, de entre as quais, a física e a causal.

A Física Quântica tem sido constantemente mencionada com o intuito de dar um caráter mais científico às técnicas envolvidas, revolucionando o pensamento científico, que deixou de basear-se apenas na relação de Causa e Efeito.

Hoje sabemos, por exemplo, que o átomo constitui-se de uma pequena partícula de matéria e que no seu interior temos um núcleo formado por prótons e nêutrons. Enquanto os prótons são dotados de carga elétrica positiva, ao redor do núcleo dos nêutrons existem partículas menores, os elétrons, que são dotados de carga elétrica negativa e que se movimentam em órbitas elípticas concêntricas, podendo-se comparar este sistema eletro-magnético atômico a uma miniatura de nosso sistema planetário.

Outra descoberta importantíssima feita pela ciência é de que os prótons, nêutrons e elétrons comportam-se dubiamente, ora como partículas (matéria), ora como ondas (energia) e que as moléculas não trocam energia continuamente, mas sim, em pequenas quantidades denominadas "quanta".

Mas, o que tem tudo isto a ver com os conceitos utilizados pelas terapias energéticas? Foi a partir destes conhecimentos que se percebeu que o mundo atômico sutil exerce grande influência sobre o mundo visível material, a ponto de perdermos o apoio daquilo que considerávamos óbvio.

Isto nos levou ao fato, de que nunca poderemos ter uma descrição completa do mundo (Princípio da Incerteza elaborado por Heisenberg), sendo que teorias diferentes e contraditórias podem cooperar para a compreensão mais completa do mundo (Princípio da Complementaridade elaborado por Bohr).

Podemos também afirmar, que a neutralidade na observação não existe, uma vez que o sujeito interfere no objeto e que este, por sua vez, não pode ser separado do último. Em outras palavras, a Física Quântica mostra-nos que todo fenômeno externo ou interno tem a mesma origem, que podemos denominar Vazio, Ilimitado, Vacuidade, Absoluto.

Sendo assim, podemos concluir que o mundo material surge a partir da noção de um Eu Individual, separado do mundo. Se isto for verdade, podemos também inferir que o mundo externo tem origem na nossa Consciência, e por isso pode por nós ser mudado.

Partindo dos pressupostos acima, podemos admitir também, que a causa e cura das doenças devem estar centradas no campo da atomologia e que o nosso pensamento , enquanto energia sutil, pode ter o poder de deslocar ou reajustar os elétrons de suas órbitas.

Ou seja, se considerarmos o pensamento como uma forma de energia emitida por nossa alma, nosso Eu Superior, podemos chegar à conclusão de que quando este estiver impregnado de emoções negativas (medo, raiva, ciúmes, etc.) ocorreria um deslocamento de elétrons de suas órbitas levando-nos à dor, ao sofrimento, às doenças. Já quando positivo, fundamentado na prece, na fé, na vontade, na determinação, ou seja, centrado numa ação curativa, seríamos capazes de produzir um reajustamento dos elétrons no alinhamento de maior potencial de suas órbitas promovendo a saúde, o bem-estar, a cura quântica.

Em outras palavras, pensamentos negativos seriam responsáveis por uma descompensação energética nos átomos, promovendo o deslocamento dos elétrons de suas órbitas atômicas desencadeando, desta forma, a desarmonia energética na estrutura das células e conseqüente ejeção dos elétrons das órbitas dos átomos que as constituem, gerando aquilo que denominamos doença (física ou psíquica).

Já os pensamentos positivos harmonizariam a dinâmica dos átomos reconduzindo os elétrons às suas respectivas órbitas, produzindo a harmonização do sistema energético das células e a conseqüente recondução ao estado normal, ao que denominaríamos saúde..

Ou seja, quando nos utilizamos das técnicas energéticas (florais, reiki, acupuntura, homeopatia) estaríamos, na verdade, injetando uma espécie de bioinformação curativa, que seria ativada por uma energia vital magnética sutil durante o processo de cura, reconduzindo o nosso sistema energético à harmonia.

Como se mandássemos uma mensagem ao nosso cérebro relembrando-o da capacidade de auto-ajustamento ou auto-cura existente em nosso organismo. Uma vez que nossa consciência, como dissemos anteriormente, tem grande influência sobre nosso bem estar e saúde, estaríamos aqui corrigindo alguns padrões de disfunção da nossa energia emocional. Reequilibrando nossas emoções, conseqüentemente, estaríamos aumentando nossas respostas imunológicas, atingindo também a cura física.

Sabemos que o saber médico não tem resposta para tudo. Às vezes, temos que encontrar as doenças no nosso emocional. E aí precisamos da Psicologia. Outras vezes, as tentativas nestas duas áreas não encontram respostas. Isto porque nenhuma Ciência detém todo o saber.

O homem é um ser complexo e deve ser tratado de uma forma holística, sem perder a visão do todo. Jung, importante teórico da Psicologia, já nos falava que não poderíamos enxergar o ser humano como uma mera máquina biológica.

Urge construir-se um modelo de ciência holístico, que transcenda os aspectos pessoais, elevando-se a uma condição espiritual, onde o Universo (matéria/energia) seja visto como uma entidade dinâmica em constante mudança num todo indivisível, afetando-nos e sendo por nós afetado, numa constante busca do equilíbrio.

Fonte: Internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário